NOTÍCIAS

Fórum do Desenvolvimento debate perspectivas para o Brasil

17 de outubro de 2018 às 14:35
Compartilhe essa notícia

A ABDE, juntamente com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), e com o apoio do Sebrae, realizou nesta quarta-feira (17/10), em Brasília, o Fórum de Desenvolvimento e entrega do Prêmio ABDE-BID. A abertura do Fórum contou com a participação do presidente da ABDE, Marco Crocco, do presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos,  da gerente geral da OCB, Tânia Zanella, e da especialista líder do BID, Maria Netto.

Com o intuito de debater o cenário político e econômico do Brasil e as perspectivas para o próximo período, o evento reuniu acadêmicos e especialistas em uma série de debates ao longo do dia.

O Fórum foi aberto pelo presidente da ABDE, que lembrou da peculiaridade de a realização do Fórum do se dar em meio ao segundo turno das eleições presidenciais no Brasil. “Independentemente de candidatura, queremos colocar a pauta de desenvolvimento em discussão. Temos a preocupação de discutir como o Sistema Nacional de Fomento se estrutura e qual o seu papel no processo de desenvolvimento nacional”, afirmou Crocco.

A especialista-líder do BID, Maria Netto, apontou para tendências a serem consideradas pelas instituições de fomento, que são: a necessidade de alavancar investimentos privados em infraestrutura e de estruturação de projetos que criem mecanismos de financiamento e de incentivo de mercado. “Os bancos de desenvolvimento encontram o desafio e a oportunidade de fazer a inovação chegar às empresas que ainda têm dificuldades de acessar crédito no mercado”, pontuou.

O entendimento foi acompanhado pelo presidente do Sebrae Nacional, Guilherme Afif. Ele lembrou, ainda, necessidade de ampliar as oportunidades aos pequenos negócios. “O crédito ficou monopolizado, concentrado, e não chega a quem trabalha. Por isso temos que ter uma política de desenvolvimento e esperamos que o próximo governo dê uma guinada de 180 graus para beneficiar quem produz, que são os pequenos negócios”, ressaltou Afif.

Tânia Zanella, representando a OCB, avaliou o momento atual como “crítico e bastante complicado para a economia”. “Mas estamos construindo a base para que, independentemente do governo, objetivos para o desenvolvimento sejam bem recepcionados”, disse.

Debates – O presidente da ABDE, Marco Crocco, que é especialista em desenvolvimento regional, fez uma palestra sobre o futuro do Sistema Nacional de Fomento. Na sequência, o sociólogo José Mauricio Domingues e a economista Maria de Lourdes Rollemberg Mollo debateram o cenário político e os dilemas nacionais. Já na parte da tarde, os economistas Paulo Nogueira Batista Jr., que foi vice-presidente do Banco dos Brics, e Carlos Alexandre Da Costa, ex-diretor do BNDES, apresentaram suas visões sobre a perspectiva do Brasil nos próximos anos.

Prêmio – Também foram entregues as premiações para os vencedores da 5ª Edição do Prêmio ABDE-BID, que neste ano recebeu número recorde de inscrições, divididos em três temas: “Desenvolvimento em Debate”, “Parcerias Público-Privadas: Desafios e Soluções” e “Desenvolvimento e cooperativismo de crédito”. O livro com a íntegra de todos os artigos premiados pode ser acessado clicando aqui.