NOTÍCIAS

Credfor faz cinco anos com R$ 31 milhões demandados

30 de novembro de 2011 às 0:00
Compartilhe essa notícia

O Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) alcança a marca de R$ 31 milhões em financiamentos pelo Credfor. O programa, com cinco anos de atuação, consiste em um sistema de leilão de crédito para capital de giro. O montante ajuda na estruturação de empresas com certificados de qualidade que tenham contratos com grandes companhias.

No sistema, os bancos comerciais disputam o financiamento de capital de giro por meio de um leilão eletrônico – e vence aquele que ofertar a menor taxa de juros para o crédito. “Os fornecedores que sejam capixabas ou que tenham base operacional no Espírito Santo têm a possibilidade de obter capital de giro para cumprimento de seus contratos com taxas de juros mais competitivas”, explica Guerino Balestrassi, diretor-presidente do Bandes, banco articulador e coordenador do sistema.

O Bandes Credfor foi lançado no segundo semestre de 2006, ano em que ocorreu também o primeiro leilão. No início, o programa contava com apenas quatro bancos, 40 empresas fornecedoras e oito âncoras. Hoje, já somam 21 instituições financeiras, 321 empresas cadastradas e 12 empresas âncoras, que são as mantenedoras do programa. No total, 42 leilões foram realizados. “Na ponta da cadeia, o Credfor ajuda no custeio das empresas, impacta no desenvolvimento do estado e colabora com a geração de emprego e renda”, completa Balestrassi.

O proprietário da Consuplan Consultoria e Planejamento Ltda, Edimauro Fernandes dos Santos, conheceu o Credfor na época de sua certificação e garante ter feito o negócio certo. “Como eu já conhecia o programa e precisava aumentar meu capital de giro para aprimorar projetos, procurei o Bandes e consegui crédito na medida certa. O financiamento tem a menor taxa de juros, se comparado com o mercado, e isto me deu condições para crescer”, comenta.

O diretor da VGA Informática Ltda, Antônio Carlos Soella, também ficou satisfeito com os resultados do Bandes Credfor. “Achei o processo bastante simplificado, fácil, rápido e efetivo. O fornecedor realmente precisa de uma fonte onde buscar crédito”, afirma Soella, que fez o financiamento mais de uma vez.

Segundo o coordenador da Célula de Crédito Eletrônico do Bandes, Carlos Magno Rocha de Barros, as taxas praticadas no mercado giram em percentuais mais elevados, o que leva o programa a ter sucesso. “O Credfor acaba sendo uma alternativa de acesso a capital de giro, pois conseguimos reduzir o custo financeiro das empresas que atendem aos requisitos do programa”, declara. Já chegamos a uma taxa de 1,05% ao mês em um leilão para um financiamento de R$ 500 mil”.

Fonte: Lorena Zanon/ Bandes