NOTÍCIAS

BNB e parceiros programam alocação de recursos do FNE em 2020

24 de setembro de 2019 às 10:02
Compartilhe essa notícia

O Banco do Nordeste promoveu na última semana um amplo diálogo com entidades parceiras e representantes do setores produtivos dos estados do Piauí e do Sergipe para programar a alocação de recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) para 2020. As reuniões, que seguem diretrizes e orientações gerais do Ministério do Desenvolvimento Regional, do Conselho Deliberativo do Sudene, do Novo Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE), dentre outros normativos e documentos de pelamento de referência, acontecerá em todas as áreas de atuação do BNB.

No Piauí o orçamento previsto é de R$ 1,5 bilhão, por meio do programa FNE Tradicional, e de R$ 900 milhões no programa Infraestrutura, montantes que podem ser superados quando da apresentação de novas demandas de projetos de viabilidade e qualidade econômico-financeira.

Em Sergipe o planejamento visa aplicar R$ 778,7 milhões no ano de 2020. Com a contribuição dos parceiros, a a programação orçamentária ficou distribuída da seguinte forma: R$ 300 milhões para os setores de comércio e serviços (39%), R$ 160 milhões para a agricultura (21%), R$ 130 milhões para a indústria (17%), R$ 120 milhões para a pecuária (15%), R$ 60,9 milhões para a agroindústria (8%) e R$ 7,8 milhões para o turismo (1%).

Ceará: Hoje, dia 20, a partir das 14h30, o Banco do Nordeste promove amplo diálogo com entidades parceiras e representantes dos setores produtivos do Estado para programar a alocação de recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) para 2020. A reunião será realizada no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) e resultará no plano de destinação do crédito, por volume, setores econômicos, portes dos empreendimentos e região em que se encontram os projetos atendidos.

A programação leva em conta, ainda, preceitos legais de alocação mínima de recursos no Semiárido e nos demais espaços priorizados pela Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR) e de acordo com o porte do cliente, garantindo crédito para as regiões menos favorecidas e para os mini e pequenos empresários e produtores rurais.

“Iniciamos esse planejamento em junho, conversando com todos os entes da sociedade. É uma maneira transparente de fazer o plano de alocação do FNE e a sociedade fica sabendo onde esses recursos serão aplicados”, explicou o diretor de planejamento do BNB e presidente da ABDE, Perpétuo Socorro Cajazeiras,  Perpétuo.

FNE

O FNE é uma conquista regional obtida na Constituição de 1988, que destinou 1,8% do produto da arrecadação dos impostos sobre renda e proventos de qualquer natureza e sobre produtos industrializados para aplicação em programas de financiamento aos setores produtivos da área de atuação da Sudene. O Banco do Nordeste é o gestor do Fundo, principal fonte de recursos para financiamento aos empresários e produtores rurais da Região, visando minimizar as diferenças inter-regionais.

Fonte: BNB