NOTÍCIAS

Covid-19: BDMG abre crédito acessível para empresas

25 de março de 2020 às 13:25
Compartilhe essa notícia

O Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), em função do avanço da Covid-19, disponibiliza a partir de hoje (16/03) três linhas de crédito com condições especiais para auxiliar empresas de todos os portes pertencentes ao setor de saúde do estado. Serão disponibilizados recursos para capital de giro e investimentos para compra de matéria-prima para fabricação de produtos de alta demanda (máscaras, álcool em gel, lenços, etc.), reforço de estoque, preparação de leitos, contratação de mão de obra temporária, entre outros.

Especificamente para as micro e pequenas empresas (MPEs) com faturamento até R$ 4,8 milhões, será disponibilizada a linha Giro Saúde. O produto oferece juros prefixados a partir de 0,83% ao mês, prazo de pagamento de até 48 meses e até seis meses de carência.  Para a faixa de empresas com faturamento anual entre R$ 4,8 milhões e R$ 30 milhões, o BDMG lançou a linha Giro Mais Saúde, com taxas a partir de 0,83% ao mês indexadas a SELIC, prazo de até 60 meses e carência de até seis meses.

Já para as médias e grandes empresas, com faturamento anual acima de R$ 30 milhões, que incluem laboratórios, indústrias, grandes hospitais e outras empresas do setor, foi criada a linha BDMG Saúde, com taxas de juros diferenciadas (variando para cada tipo de cliente), prazo de até 60 meses para pagar e carência de 18 meses.

“Temos, ao todo, 36 mil empresas atuando no setor de saúde em Minas Gerais. Em um momento desafiador como este que estamos enfrentando, o BDMG agiu com agilidade e flexibilidade para oferecer crédito em condições ainda mais acessíveis para que o setor possa se estruturar diante do desafio representado pela Covid-19”, afirma Sergio Gusmão, presidente do BDMG.

O BDMG também está estudando uma linha de crédito para empresas de qualquer setor localizadas em cidades criticamente afetadas pela Covid-19, mediante critérios a serem definidos pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). O banco ainda está aberto a renegociar as dívidas de micro e pequenas empresas e prefeituras de municípios criticamente afetados pela Covid-19.

Setor do turismo

A cadeia do turismo também terá condições de financiamento facilitadas pelo BDMG, em face do contexto econômico imposto pela Covid-19. As operações do banco com recursos do Fundo Geral do Turismo (Fungetur), destinadas ao capital de giro de micro e pequenas empresas do ramo, terão redução nas taxas de juros e ampliação do prazo de carência.

Os juros iniciais da linha de crédito caem de 7% ao ano (+ INPC) para 5% ao ano (+ INPC). O prazo de carência dobrou, de 6 meses para 12 meses, com pagamento em até 48 meses. O acesso ao crédito deve ser feito diretamente pela plataforma digital do banco (bdmg.mg.gov.br) ou por meio de um correspondente bancário, que pode ser consultado pelo site.  Podem solicitar o crédito empresas com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões e pertencentes a uma das mais de 90 atividades econômicas da cadeia do turismo, incluindo empresas de hospedagens, bares e restaurantes, transporte e agências de turismo, até negócios de produções artísticas, de teatro e dança, animação de festas, infraestrutura de eventos e aluguel de equipamentos.

“A cadeia do turismo é uma das mais abrangentes e estratégicas para Minas Gerais, com cerca de 60 mil estabelecimentos. Assim, estamos tornando ainda mais acessível e ágil a disponibilização de recursos para o pequeno empreendedor neste momento de desafios. Nós, como banco de desenvolvimento, temos que atuar na frente anticíclica deste cenário e encontrar alternativas efetivas para minimizar seus impactos econômicos e sociais”, afirma Sergio Gusmão, presidente do BDMG.

Para ter acesso aos recursos as empresas também precisam estar em operação há pelo menos seis meses e serem inscritas no Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur) – o cadastro pode ser feito gratuita e rapidamente pelo próprio empresário na página do Ministério do Turismo.

Fonte: Ascom/BDMG