BLOG

Indústria: desafios e perspectivas no Brasil recente

5 de maio de 2021 às 12:33
Compartilhe essa notícia

Por Ana Paula M. Avellar*

A indústria brasileira vem apresentando nos últimos anos baixo dinamismo, seja na sua participação no Produto Interno Bruto (PIB), seja nos indicadores de esforço e resultado inovativos. Essa realidade é objeto de muita preocupação ao se considerar a importância dessa atividade econômica para o desenvolvimento do país e do papel do Estado com a implementação de políticas públicas.

No entanto, o problema em relação à redução da dinâmica da indústria brasileira não é tema de 2020 e 2021. Em setembro de 2019 já se discutia na Conferência de encerramento – Sessão Iedi do IV Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação quais seriam os desafios da indústria e do desenvolvimento, sob a coordenação do Sr. Rafael Cagnin (Iedi)¹. Os palestrantes, professor Carlos Américo Pacheco (IE/Unicamp e Fapesp) e professor Carlos Frederico Rocha (IE/UFRJ), destacaram em suas análises a dinâmica recente da indústria brasileira, das políticas industriais e de inovação, bem como seus limites e desafios.

Nessa sessão foi ressaltada a existência de uma grande diversidade de políticas de apoio à indústria e à inovação no país desde final dos anos 1990, mas que, após 2014, esses instrumentos ficaram comprometidos dada a aguda redução de orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, comprometendo a continuidade de muitos programas de apoio à inovação. Dentre as diversas considerações apresentadas na sessão destaca-se essencialmente a importância da indústria como promotora do desenvolvimento e a necessidade de garantir o desenvolvimento nacional por meio de setores que não necessariamente estejam relacionados às atividades tradicionais da indústria, mas aos setores que possam se conectar aos núcleos geradores do progresso técnico.

Com base nesse diagnóstico em 2019, o que aconteceu com a indústria brasileira desde então?

O ano de 2020 foi marcado com um conjunto de dificuldades que aprofundaram ainda mais o desempenho da indústria brasileira, como a pandemia e a crise econômica e política do país. A indústria apresentou no 1º semestre de 2020 uma forte redução de sua atividade e, no final do 2º semestre, de acordo com os indicadores apresentados pelo Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) em 2 de fevereiro de 2021², pode-se constatar uma retomada da atividade industrial atingindo patamares anteriores à pandemia. Entretanto, mesmo com esse fôlego que se apresentou no final de 2020, a expectativa em termos de dinâmica inovativa e das políticas de incentivo à inovação não é muito animadora. De acordo com os dados da última edição da Pesquisa Industrial de Inovação Tecnológica (Pintec), verifica-se uma diminuição no percentual de empresas inovadoras no país e soma-se a isso uma acentuada redução do orçamento das agências de fomento à pesquisa científica e tecnológica, bem como dos fundos que sustentam diversos programas de apoio à inovação no país. Essa combinação de elementos claramente coloca em xeque o importante papel da indústria na promoção do desenvolvimento brasileiro. Faz-se necessário recolocar a indústria como protagonista desse processo.

Por fim, diante dos desafios apontados, convido os leitores a participarem de maneira ativa nos debates sobre o tema, como os promovidos regularmente pela Associação Brasileira de Economia Industrial e Inovação (Abein) em seus Encontros Nacionais.


¹ https://www.youtube.com/watch?v=bfh50jz8E1U&t=359s

²  IEDI (2021). Destaque IEDI – A retomada da Indústria. 02/02/2021. Disponível em: https://www.iedi.org.br/artigos/destaque/2017/destaque_iedi_20210202.html

* Professora do Instituto de Economia e Relações Internacionais da Universidade Federal de Uberlândia. Possui doutorado em Economia Industrial e da Tecnologia pela UFRJ

LEIA A EDIÇÃO DIGITAL DA RUMOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *