NOTÍCIAS

Fomento Paraná reduz taxas de juros para linhas de crédito

10 de abril de 2019 às 10:58
Compartilhe essa notícia

A Fomento Paraná, instituição financeira estadual que oferece crédito a empreendedores, reduziu as taxas de juros das operações de crédito. A diminuições para as micro, pequenas e médias empresas foi média de 1,29 ponto percentual ao ano, enquanto que no microcrédito foi de 3,32 pontos percentuais.

O anúncio da dedução foi feito pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, na quarta-feira (03/04), em Curitiba. Na solenidade também foi assinado um convênio entre a Fomento Paraná e a Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), que passou a ser correspondente da agência e pode ofertar crédito.

“A ideia com esses projetos é estar ainda mais próximo do setor produtivo, criando um ambiente favorável ao empreendedorismo e ao desenvolvimento da atividade econômica”, afirmou o governador.

Taxas – A redução mais representativa das taxas de juros ocorre no microcrédito, segmento que apresenta maior procura e maior volume de operações e para o qual foram liberados R$ 300 milhões em 29 mil contratos,  nos últimos oito anos.

A menor taxa de juros do microcrédito, que era de 1,73% ao mês, cai para 1,49% para clientes com menor risco de crédito, classificados como bons pagadores, e também empreendedores que fazem cursos de capacitação gerencial do Sebrae-PR ou do Bom Negócio Paraná.

Na prática significa que em uma operação de R$ 10 mil o cliente vai pagar R$ 508 a menos de juros em um financiamento de 36 meses.

 A taxa também diminuiu para projetos de empresas de médio e grande porte, que em geral são atendidas com recursos de repasse do BNDES. Nesse caso, a taxa média de juros ao mês nessas operações, que era de 1,28%, caiu para 1,23% ao mês.

Novo ciclo – O diretor-presidente da Fomento Paraná, Heraldo Alves das Neves, lembra que o crédito é um componente essencial para o crescimento da economia, principalmente no momento atual por qual passa o país.

 “Estamos em um novo ciclo de desenvolvimento e o crédito se torna ainda mais importante, porque cada real investido tem um efeito multiplicador importante para geração de tributos de renda”, disse ele.

 Neves reforçou, ainda, que esse novo modelo de classificação das operações é baseado na classificação de risco de cada operação. “Estamos promovendo uma redução das taxas aos empreendedores que têm um bom cadastro, um bom histórico de pagamento e uma boa capacidade de endividamento e geração de caixa. A lógica é seguinte: bom cadastro, expectativa de perda menor e juros menores”, disse.

Convênio – A Fiep, por meio do convênio, passa a oferecer crédito de R$ 20 mil a R$1,5 milhão da Fomento Paraná para micro, pequenas e médias empresas da indústria. “É uma cooperação que estamos fazendo e que gera uma grande oportunidade para que os industriais, que muitas vezes têm dificuldade de acesso ao crédito, possam consegui-lo”, disse o presidente da federação, Edson Campagnolo.

 Campagnolo também relatou que as taxas de juro de mercado, apesar de a taxa Selic estar baixa, ainda estão elevadas. “Então, quando você tem linha de crédito específica com Fomento, o empreendedor passa a ter acesso a uma taxa de juros e prazos mais alongados, especialmente naquilo que se refere a investimentos”, disse.

 Presenças – Participaram da solenidade o chefe da Casa Civil, Guto Silva; o secretário de Estado de Desenvolvimento Urbano, João Carlos Ortega; o líder do governo na Assembleia, deputado Hussein Bakri; o presidente da Associação das Empresa da Cidade Industrial de Curitiba (AECIC), Nelson Hubner; a diretora de capacitação da Câmara da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios da Fecomércio, Luciana Burko; o diretor de operações do Sebrae, Julio Agostini; e os deputados estaduais delegado Recalcatti e Tiago Amaral.

Fonte: Fomento Paraná