NOTÍCIAS

BNDES tem alta de consultas e enquadramentos por financiamentos nos 9 primeiros meses de 2018

5 de novembro de 2018 às 13:26
Compartilhe essa notícia

Duas primeiras etapas por que passam os pedidos de financiamento no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), as consultas e os enquadramentos de operações de crédito cresceram nos nove primeiros meses de 2018. As altas foram de, respectivamente, 6% e 12% frente ao mesmo período de 2017.

Os crescimentos foram mais fortes nas consultas dos setores de indústria (+34%) e infraestrutura (+11%). Os enquadramentos também tiveram aumento significativo nesses dois segmentos: +45% e +17%, respectivamente. Em números absolutos, as consultas ao Banco atingiram R$ 79,2 bilhões e os enquadramentos chegaram a R$ R$ 74,5 bilhões.

Nos três primeiros trimestres, as aprovações de novos financiamentos pelo BNDES permaneceram relativamente estáveis e totalizaram R$ 50 bilhões, com uma redução de 1% em relação ao ano passado. Já os desembolsos do Banco somaram R$ 43,6 bilhões entre janeiro e setembro de 2018, uma queda de 13% em comparação com o mesmo período de 2017.

MPMEs e Infraestrutura – De janeiro a setembro de 2018, as micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) receberam R$ 21,7 bilhões em liberações do BNDES. O montante equivale à metade (49,7%) do total desembolsado no período e representa um crescimento de 4% em comparação com os mesmos nove meses de 2017. Outro destaque foi o setor de infraestrutura, que ficou responsável por 40,3% das liberações do BNDES – R$ 17,5 bilhões – nesses nove meses.

Desempenho anual – Considerados os últimos 12 meses, as consultas, os enquadramentos e as aprovações de novos financiamentos cresceram, respectivamente, 3%, 6%, e 3%, enquanto os desembolsos tiveram uma redução de 15%.

“É importante destacar que há um processo de defasagem entre contratações e desembolsos e que, no último ano, tivemos um crescimento nas consultas, nos enquadramentos e nas aprovações. Portanto, essa expansão ainda se refletirá nos desembolsos até o fim de 2018, que ficarão dentro do estimado inicialmente”, disse o presidente do BNDES, Dyogo Oliveira.

Ainda considerados os últimos 12 meses, as liberações do BNDES para as MPMEs totalizaram R$ 30,6 bilhões, correspondendo a 47,6% do total desembolsado. Esse valor representou um crescimento de 8% em comparação com os 12 meses anteriores.

Regionalmente, em 12 meses, as aprovações de novas operações pelo BNDES cresceram nas regiões Centro-Oeste (42%), Sudeste (8%) e Norte (2%), enquanto no Sul permaneceram estáveis (-1%) e caíram (-29%) no Nordeste.

Também em 12 meses, mas setorialmente, aumentaram as aprovações do Banco para novos financiamentos aos segmentos industrial (13%), de infraestrutura (2%) e agropecuária (2%). Já as aprovações para o setor de comércio e serviços caíram 6%.

Mercado de capitais – Em 2018, o BNDES buscou ampliar sua atuação como investidor de fundos de crédito, em conjunto com investidores privados e instituições financeiras de desenvolvimento, visando estimular esse segmento e aumentar o acesso de pequenas e médias empresas e de projetos de infraestrutura a outras formas de financiamento via mercado de capitais. Entre janeiro e setembro, foram investidos R$ 412 milhões por meio desse instrumento, com um efeito multiplicador de 2,6 – ou seja, para cada milhão do BNDES, foram aplicados R$ 2,6 milhões por outros investidores.

O Boletim de Desempenho do BNDES está disponível no site do Banco, em www.bndes.gov.br/desempenho.

Fonte: BNDES